A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Apresentação do livro "A Reforma Agrária é necessária"








Decorreu nas instalações da CURPI ontém sábado pelas 16:00 horas apresentação do livro “ A Reforma Agrária é necessária” do autor António Gervásio e editado pela Editorial Avante.

Na Apresentação desta obra literária participou também José Casanova (Director do Jornal Avante). Integrou a mesa juntamente com joão Pedro Caldeirão, João José Pinheiro e José Pingo.

Este magnífico livro visa fundamentelmente comemorar o 35º aniversário do início da Reforma Agrária. Momento ímpar da nossa história em que os proletários e os trabalhadores do Alentejo e Ribatejo se impuseram contra o regime fascista apoiado pelos grandes latifundiários que os exploravam. No qual substituiram o desmprego, a miséria e o trabalho sem qualquer tipo de condições ou garantias pela produção, pelo trabalho e pelo pão. Assente como referência fundamental “ Aterra a quem a trabalha”.

Foram inúmeras as perseguições, as prisões, as torturas, os espancamentos e até a morte. Que entre muitos casos se destaca o brutal assassinato de Catrina Eufémia em Balizão (Beja) que foi morta pelo Tenente Carrajola da Guarada Nacional Republicana. Com três tiros à queima roupa no momento em que esta segurava ao colo um dos seus três filho de 8 meses e estando grávida de outro. Ao tentar pedir trabalho e pão.

A Reforma Agrária fou um êxito. Que pode ser comprovado pelo aumento das áreas cultivadas. As memdidas tomadas pelas cooperativas fizeram com que fosse melhorada a vida dos trabalhadores. Estabeleceram salários fixos e justos. Diminuindo desta forma a diferença do salário entre homens e mulheres. Criaram também inúmeras infra-estruturas de caracter social tais como: postos médicos, creches, jardins de infância e centros de dia. Tudo isto graças à extinção de exploradores e explorados. Algumas destas instalações ainda funcionam como é o caso da Casa do Povo de Campo Maior. Outras forma simplesmente destruidas pelas sucessivas medidas governamentais.

Desde sempre as mais diversas forças reaccionárias tentaram difamar e caluniar todo este movimento expontâneo do povo trabalhador agrícola. Até mesmo dentro do próprio estado. Esta ofendiva continuou com o governo do PS/Mário Soares (aquele que foi o maior atacante das classes operárias e mais desfavorecidas por gente dita de esquerda). Ao qual foi dada continuidade por todos os sucessivos governos do PS/CDS, PPD/CDS, PS/PPD, e PPD sozinho. Causando a restauração do capitalismo monopolista.

Todas estas ofensivas conseguiram destruir a Reforma Agrária e restaurar como no tempo da ditadura o grande latifúndio. Onde imperam os senhores das terras das quais recebem enormes quantias de dinheiro provenientes de verbas europeias para não produzirem rigorosamente nada! Criando a necessidade de importação da quase totalidade de bens agrícolas que anteriormente eram produzidos no nosso país.
Esta tese voltou a ser defendida pelo Secretário Geral do PCP Jerónimo de Sousa. Reforçando que está mais actual que nunca.

Todos estes temas foram abordados pelos diversos interveientes da mesa.

“A mais bela conquista da Revolução” Como muito bem ficou definida pelo camarada Álvaro Cunhal.

No final das intervenções o autor rubricou e fez dedicatórias à maioria das obras vendidas no local. Dando de seguida uma entrevista para a rádio local.








2 comentários:

Anónimo disse...

Por uma nova reforma agrária ou entao uma nova revolução.


Saudações Revolucionárias

Anónimo disse...

É com exemplos destes que podemos contar!
Está na nossa mão dar continuidade a este belo trabalho!

Por uma nova reforma agrária, por uma nova ordem económica mundial, pela restauração dos valores mais importantes na sociedade!

E sobretudo pelo poder do povo!

"A terra a quem a trabalha"

Saudações democráticas