A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

terça-feira, 29 de maio de 2012

Apresentação de "maior é o povo . AQUI É CAMPO MAIOR" 3 junho (Domingo) no CCCM

A apresentação do livro "maior é o povo . AQUI É CAMPO MAIOR" editado pela Página a Página será no Centro Cultural de Campo Maior, dia 3 de Junho (Domingo) pelas 17:00. Com a presença do autor.

Este poema da autoria de Filipe Chinita, na altura, em que no essencial o escreveu, revolucionário a tempo inteiro, é dedicado às gentes de Campo Maior.
 
Da apresentação e intervenções farão parte o Presidente da Câmara Municipal de Campo Maior Ricardo Pinheiro, Director da Editora Página a Página Francisco Melo, o autor Filipe Chinita e os convidados João José Pinheiro e Ana Maria Vieira.
 
Vão ser declamados excertos da obra por campomaiorenses.

Filipe Chinita é autor de várias obras como por exemplo: gente povo todo o dia e Cantata Pranto e Louvor. Em Memória de Casquinha e Caravela ambos da Editorial Avante!

quarta-feira, 23 de maio de 2012

8ª Assembleia da Organização de Campo Maior do PCP


8ª Assembleia da Organização de Campo Maior do P.C.P.

Com o lema

"REFORÇAR O PCP DEFENDER AS CONQUISTAS DE ABRIL"

Convocam-se todos os militantes para a Assembleia Concelhia do PCP que se realiza

No dia 27 de Maio de 2012 (Domingo) pelas 17:00 no Centro de Trabalho de Campo Maior

Com a seguinte ordem de trabalhos:

1 - Apresentação e discussão da resolução política;

2- Eleição da nova Comissão Concelhia;

3- Eleição de delegados à IX Assembleia da Direcção Regional.

Participa na Assembleia como convidado o camarada Fernando Carmosino - Membro do Comité central do PCP

26 Maio - Lisboa - É tempo de dizer BASTA!



A todos quantos não se conformam nem se resignam perante um rumo de declínio que agrava os problemas do país e empobrece os trabalhadores e o povo.

A todos quantos sabem, e sentem nas suas vidas, que a política que estão a impor ao país só lhes acrescenta exploração, privações, dificuldades e incertezas quanto ao futuro.

A todos quantos percebem que, por detrás da conversa sobre a “crise” e a “divida pública”, o que se esconde é uma política deliberada para continuar a entregar milhões aos grupos económicos e financeiros e a amassar fortunas de uns poucos, enquanto a esmagadora maioria dos portugueses vêem a sua vida feita um inferno.

A todos quantos não não abdicam de viver num país soberano e independente e não aceitam ver o país transformado num mero protectorado das principais potências europeias e governado a partir dos interesses económicos de Berlim ou Paris.

A todos quanto sabem e acreditam que há uma política alternativa e um outro rumo capaz de afirmar os direitos dos trabalhadores e do povo e elevar as suas condições de vida, assente na promoção da produção nacional, na valorização dos salários e reformas, no controlo público dos sectores e empresas estratégicas.

A todos quantos vêem cortados os seus direitos de acesso à saúde, às prestações e apoio social, à segurança e estabilidade no emprego, ao direito à habitação, aos transportes e serviços públicos.
É tempo de dizer Basta!

É tempo de não calar mais a indignação e o protesto, de transformar a indignação e revolta de cada um na acção e na luta de todos que há-de ser capaz de derrotar esta política ruinosa que a não ser travada conduzirá o país para o abismo.

É tempo de cada um fazer ouvir a sua voz e engrossar a corrente dos que erguem como imperativo nacional a exigência de rejeição do Pacto de Agressão que as troikas estrangeira e nacional estão a impor ao país e aos portugueses.

Dia 12 na cidade do Porto e dia 26 de Maio em Lisboa, junta-te ao PCP, vem dar mais força à luta por uma vida melhor e mais digna, vem expressar a tua indignação, afirmar os teus direitos, juntar a tua força à luta coerente por uma ruptura com o actual rumo.

Dia 12 e 26 afirmemos, com confiança, que é possível mudar, que é possível uma política patriótica e de esquerda que assegure o desenvolvimento económico, dê resposta aos direitos e aspirações dos trabalhadores e do povo, assegure um Portugal com futuro.

Com o PCP, Democracia e Socialismo

Os valores de Abril no futuro de Portugal

sábado, 19 de maio de 2012

CDU Campo Maior Sauda a reunião da CIMAA realizada em Campo Maior



Realizou-se no passado dia 4 de Maio de 2012 pelas 21:00 no Centro Cultural de Campo Maior a reunião plenária ordinária da Assembleia Intermunicipal da CIMAA (Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo).

As reuniões da CIMAA decorrem normalmente na capital de distrito (Portalegre). Mas com o objectivo de chegar às populações locais, ultimamente realizaram-se várias fora de Portalegre. Como por exemplo em Nisa e Campo Maior. Estando já agendada uma terceira (extra ordinária) para, a capital da codelaria, Alter do Chão em data a designar.

A CDU Campo Maior saúda a descentralização destas reuniões e  sua vinda ao encontro das populações do distrito. Uma vez que são abertas ao público. As populações podem e devem comparecer nesta iniciativa do poder local democrático e fazer sentir a sua voz. Ouvindo, criticando e propondo alternativas que melhor sirvam a população.



quarta-feira, 16 de maio de 2012

18 e 19 de Maio - XII Convenção do Partido Ecologista “Os Verdes”

Realiza-se nos próximos dias 18 e 19 de Maio, a XII Convenção do Partido Ecologista “Os Verdes”, órgão máximo do PEV, sob o lema “Da indignação à Ação. “Os Verdes”, uma força de esperança, de mudança”, um grande momento de afirmação do projeto ecologista em Portugal. Vai realizar-se no Instituto Superior de Economia e Gestão, em Lisboa (ISEG, Edifício do Quelhas, Auditório da CGD).
 
Os trabalhos começarão na sexta-feira, dia 18 de Maio, com a sessão de abertura marcada para as 22.00h, e terminarão após a intervenção de encerramento, prevista para as 18.00h de sábado, 19 de Maio.

Acompanhamento da convenção pelos jornalistas: no sentido de criar as melhores condições possíveis para acompanhamento da Convenção por parte da comunicação social, agradecemos que, se possível, os senhores e senhoras jornalistas contactem previamente “Os Verdes”, através da assessoria de imprensa (Maria Luís - 917 462 769) e/ou, nos dias da Convenção, se dirijam ao balcão da receção para entrega de cartões de identificação.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Assembleia Municipal de 19 de Abril 2012

No passado dia 19 de Abril realizou-se no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Campo Maior  a sessão ordinária da Assembleia Municipal. A mesma tinha como principal ponto de ordem de trabalhos a discussão e aprovação da conta de gerência de 2011.

Antes da ordem do dia, para o público, houve duas intervenções de munícipes, sobre a constante onda de assaltos e o grande sentimento de insegurança que se sente em todo o concelho de Campo Maior.

Ainda sobre o tema principal, o eleito da CDU absteve-se. De acordo com a posição assumida quando da votação do orçamento e plano de actividade do mesmo ano.

Antes da ordem do dia para os membros da assembleia. O deputado da CDU interviu, apelando mais uma vez, para que a Câmara Municipal tente resolver e devolver o mais breve possível o espaço do Mártir Santo à população campomaiorense. Sobretudo, porque lá se encontra uma igreja que é Património Municipal. E faz parte das históricas muralhas de Campo Maior.

O eleito da CDU questionou o Presidente da Câmara sobre o método de captura e abate de animais de raça canina. Ao qual respondeu que permaneciam durante 15 dias num espaço dentro dos armazéns municipais. Era feito um edital com as características dos animais. Passado esse prazo, os animais eram abatidos.

Por fim o eleito pela CDU leu uma saudação ao 38º aniversário do 25 de Abril 1974 - data maior da nossa história e ao 1ª de Maio - Dia Internacional do Trabalhador.

É com a CDU que os Campomaiorenses podem contar.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Sexta, Reunião do Conselho Municipal de Segurança e do Conselho Municipal da Juventude



Sexta feira dia 11 de Maio estão marcadas duas reuniões no Salão Nobre dos Paços do Concelho. Em Campo Maior.

Pelas 14:30 será a reunião ordinária do Conselho Municipal de Segurança.

Às 21:00 há reunião do Conselho Municipal da Juventude.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Cervantes, a cereja no topo do bolo!

(Palmas para quem defendeu o povo)

"Quem perde seus bens perde muito; quem perde um amigo perde mais; mas quem perde a coragem perde tudo."

Miguel de Cervantes

Foi com esta maravilhosa citação que Jerónimo de Sousa, secretário-geral do Partido Comunista Português terminou a excelente prestação no programa Prós e Contras. Ao lado do Professor Catedrático jubilado e ex-vice-reitor da Universidade de Coimbra António Avelãs Nunes defenderam e justificaram a ruptura com as actuais políticas em Portugal na Europa e no mundo. Arrasando as balelas dos neoliberais presentes.

Pela verdadeira mudança, pelo Socialismo e pelo Comunismo.

domingo, 6 de maio de 2012

Jerónimo de Sousa no Prós e Contras dia 7 de Maio (RTP1 às 22:30)



"A VIDA DOS PORTUGUESES"

O aperto entre o défice excessivo, a procura de crescimento económico e o desemprego.

As opções já tomadas e as alternativas.

Compreender para discernir o futuro.

O líder do Partido Comunista Português Jerónimo de Sousa, António Capucho, Rui Machete, e António Avelãs Nunes, quatro visões diferentes sobre o país.

A vida dos portugueses, no maior debate da televisão.

Prós e Contras, 2ª feira à noite na RTP.

Fonte: RTP1

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Parabéns Companheiro Vasco


Vasco dos Santos Gonçalves  (Lisboa, 3 de Maio de 1922 — Almancil, 11 de junho de 2005 foi um militar (General) político e governante português. Conhecido como "O Companheiro Vasco". Tamanha era a sua dedicação ao povo e às classes mais desvaforecidas.

Membro da Comissão Coordenadora do MFA, foi, mais tarde, primeiro-ministro de sucessivos governos provisórios (II a V). Tido geralmente como pertencente ao grupo dos militares próximos do PCP, perdeu toda a sua influência na sequência dos acontecimentos do 25 de Novembro de 1975.

Como primeiro-ministro, foi o mentor da Reforma Agrária, das nacionalizações dos principais meios de produção privados (bancos, seguros, transportes públicos, Siderurgia, etc.) do salário mínimo para os funcionários públicos.
  
"Há 25 anos, o então coronel de engenharia Vasco Gonçalves realizava um dos seus objectivos de vida, ao participar activamente no derrubamento da ditadura fascista. Hoje, serenamente, este general na reserva que deixou uma marca inapagável na Revolução Portuguesa confessa a O Militante: «Se não tivesse participado no 25 de Abril, se a queda do fascismo me passasse ao lado, ficaria com um desgosto para toda a vida». Da entrevista que se segue, memória rápida do tempo da libertação, ressalta a coerência de um grande português que, pudemos confirmá-lo, é tudo menos a figura crispada, excessiva, dogmática que as forças motoras da contra-revolução desenharam intencionalmente. A sua passagem pelas responsabilidades políticas deixou à sociedade portuguesa muito do que melhor a democracia nos trouxe. Vasco Gonçalves saiu de cena e nunca reivindicou louros: continua a interrogar o mundo, a confiar nos valores porque sempre lutou, a acreditar. Continua a não pactuar com a desonestidade política, mas evita culpar os que cederam em momentos cruciais, antes sentimos que procura compreender, compreendê-los. Houve quem saísse derrotado das suas próprias vitórias de Pirro. Vasco Gonçalves, esse emergirá sempre acima de quantos julgaram abatê-lo. Porque nunca desistiu da sua própria utopia, nunca perdeu a esperança."

Entrevista completa aqui

fontes: Wikipedia e O Militante