A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

sexta-feira, 23 de abril de 2010

25 de Abril Sempre!



Comemorar o 36º aniversário da revolução de Abril

a Pensar no Futuro



Comemorar o 36º aniversário da Revolução de Abril de 1974 é comemorar a revolução e o seu carácter antifascista, anti-monopolista, anti-latifundista e anti-imperialista. É condenar o regime então existente que mantinha na miséria a maioria do nosso povo, reprimia, amordaçava, assassinava e perseguia todos os que, mais consequentemente, se batiam por uma sociedade democrática, progressista e justa.

A implementação de um regime democrático que pusesse fim ao regime fascista, à guerra colonial, ao isolamento internacional do nosso País e que criasse condições de vida e de trabalho, colocasse a economia ao serviço do povo e do país, eram anseios que cresceram e se multiplicaram através da luta e da resistência dos antifascistas, quer através de organizações democráticas unitárias, quer através do PCP como força política organizada na clandestinidade.
O 25 de Abril não foi um golpe de estado, foi uma revolução. Tendo nascido dum levantamento militar, por ter correspondido aos objectivos do somatório de muitas lutas e ideais, foi seguido de imediato por um levantamento popular que consagrou a Aliança Povo/MFA. Tal aliança impediu uma resposta contra-revolucionária imediata e, por isso, o derrube do regime que era fortemente repressivo deu-se sem que houvesse significativos confrontos civis ou militares.

A aliança Povo/MFA foi, pois, determinante, e por esmagadora que foi, fez com que muitos opositores desta, apanhassem o comboio, para por dentro dele, armadilhar o caminho que se tornou complexo uma vez que o poder político não foi homogéneo e, compartilhado entre forças políticas de Esquerda e de Direita, o processo revolucionário foi vítima de várias traições.

Contudo, o período decorrido entre o 25 de Abril de 1974 e o 25 de Novembro de 1975 foi exaltante: neste curto espaço de tempo conquistaram-se as liberdades políticas, os direitos laborais e sociais, tais como o direito ao trabalho, ao salário justo, a férias, à saúde, ao ensino, à segurança social, à habitação, a Reforma Agrária, as Nacionalizações, o Poder Local Democrático, o fim da guerra e do colonialismo, ao mesmo tempo que ia sendo elaborada a Constituição da República que veio a consagrar as conquistas da Revolução cujo horizonte era a construção duma sociedade socialista.
Em todas estas conquistas o PCP esteve presente. E foi com o PCP e com um amplo apoio das massas populares que foram travados vários golpes contra-revolucionários, como o 28 de Setembro e o 11 de Março.


Não rendida, a contra-revolução desenvolve-se a partir do 25 de Novembro com uma viragem à direita do processo revolucionário, onde, mais claramente, o PS, definiu como aliados preferenciais, os partidos de Direita (CDS e PSD) o que, como os factos demonstram, não deixou de acontecer até hoje:


- Nas Revisões negativas da Constituição; na recuperação do latifúndio e na destruição da mais bela conquista do 25 de Abril, a Reforma Agrária; contra as Nacionalizações; no apoio às guerras imperialistas; no ataque aos serviços públicos; estão juntos na aprovação do Código de Trabalho que ataca como nunca, os direitos dos trabalhadores e da acção sindical; estão juntos no saque aos bens e dinheiros públicos; têm estado juntos nas políticas de destruição da nossa economia e da nossa soberania; no apoio ao PEC (Programa de Estabilidade e Crescimento). A hipocrisia desta Sigla resume o que tem sido a política mentirosa de quem nos governa: Como é que se pode chamar de Estabilidade a um programa que prevê o aumento do desemprego, a diminuição dos apoios aos desempregados, dos salários, das pensões e outros apoios sociais, enquanto as grandes fortunas são intocáveis?


Como é que se classifica um programa de Crescimento quando todos reconhecem que cortando no investimento o crescimento não pode ser maior?


Por tudo isto, comemorar o 36º aniversário do 25 de Abril tem um duplo sentido: lembrar as grandes conquistas da Revolução e dizer basta de retrocessos exigindo a ruptura com a política de direita e a retoma dos caminhos de Abril.


O PCP, desde sempre comprometido com os valores e as conquistas de Abril, lutou, luta e lutará por um Portugal de progresso e justiça social, por uma Democracia Avançada constante do seu Programa, tendo por horizonte a sociedade socialista.


O PCP exorta todos os trabalhadores e democratas, ancorados na Constituição da República que se afirmem como militantes activos na defesa dos valores de Abril e na exigência de um novo rumo para o País, assente no desenvolvimento da nossa actividade produtiva, que crie emprego e desenvolva a justiça social.


Viva o 25 de Abril!


Viva Portugal!

Partido Comunista Português

Secretariado da DORPOR

4 comentários:

Anónimo disse...

Por um novo 25 de Abril!

Que liberte o "pobre Socialismo" fechado à 36 anos na gaveta do Dr. M e seus companheiros.

Que ao longo destes anos parece que estão isentos de culpas por tudo o que estamos a (sobre)viver

SAUDAÇÕES

PG disse...

Ao ouvir falar o nosso ex governante Doutor Honoris Causa Mário Soares e o actual Presidente da República professor Doutor Cavaco (que se prepara para ser novamente eleito, com o apoio disfarçado do PS). Fico com a sensação de não terem vivido no mesmo pais que eu nos últimos 30 anos.

Pior ainda trasmitem a ideia de não terem qualquer resposnabilidade na criação e ampliação das desigualdades e do desperdício do "nosso dinheiro".

Parece incerivel!! Deviam ter vergonha não só das atitudes que tomaram como dos comentários que fazem hoje em dia. sacudindo a água do capote.

O povo não é tão icnculto como antigamente...

Anónimo disse...

já fui apoiante e simpatizante do PCP, mas a verdade é que continua com o mesmo desempenho que há 3o anos atrás, não passa da mesma retorica.
desculpem lá mas o Comité Central tem muitas culpas no cartório em deixar andar assim Portugal, não os vejo a fazer nada e o BE ainda está pior que o PCP por isso mudem de mentalidades

Militante disse...

Retórica!

Realmente ouvir as verdades custa muito a tanta gente...

se os problemas continuam a ser os mesmos e tem a mesma origem.

Que queres que diga o PCP? que mude o discurso só porque não tá na moda?? Iso faz o PS e o PSD cosntantemente. Que apareça nas corridas mediáticas? ou que se esmifre em competições internas estúpidas? para acabar em nada!!

Conforme se viu no penúltimo congresso do PSD por exemplo: todos os candidatos à liderança contribuiram para a lei da rolha (alguns aprovaram outros abstiveram) e ao sair do mesmo disseram que quando fossem eleitos presidente do partido a tiravam de seguida. Isso sim é que é enganar à força toda o o povo.

Eu sou e continuo a ser! militante.

Até te digo mais: o PCP quando expulsa alguém é antes de ser notícia nos jornais. E por faltar ao compromisso de construir uma sociedade mais justa e anti-capitalista! Ao contrário do PS e PSD que só expulsa alguém em exercício quando não pode esconder mais o caso. Como se tem visto! todos os casos sob suspeita são dos mesmos do costume... Isso sim é lamentável...

Não sei se é o caso, mas se também apoias este tipo de políticas. Das duas uma: ou tás a ser enganado e lamento. ou então comes ou tencionas comer do tacho... que condeno a postura

Pretendemos uma sociedade onde os jovens saibam o valor de conseguir as coiosas sem cunhas nem favores. Apenas pelo seu próprio trabalho. Ela existe e vai vir ao de cimo... qundo menos esperam

Cumprimentos