A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Assembleia Municipal de 15.Dezembro.2011


No período antes da ordem do dia, o eleito da CDU apresentou uma declaração sobre a privatização da água em Campo Maior.

De seguida leu a moção sobre o 35º aniversário das primeiras eleições autárquicas. Que foi aprovada por unanimidade.

Foi dado conhecimento à Assembleia Municipal que iria decorrer em Portalegre uma iniciativa organizada pela União dos Sindicatos do Norte Alentejo em defesa da saúde. Sendo a CDU a única força política local a participar.

Já no período da ordem do dia. O tema principal foi a discussão do Orçamento Municipal e Plano de Actividades para 2012. Com a seguinte votação: PS votou a favor, Movimento a Nossa Terra absteve-se e a CDU optou também pela abstenção.

Sendo o eleito da CDU o único a colocar questões ao executivo municipal.

A Câmara entregou o Plano de Actividades no dia 24 (sexta) à tarde e foi dado o prazo até dia 28 (quarta) às 12:00 para se pronunciar sobre o mesmo. O curto espaço de tempo cedido pelo município inviabilizou a apresentação de propostas em tempo útil.

O eleito da CDU mais uma vez se insurgiu contra o estado deplorável em que se encontra o Mártir Santo. É uma lacuna não ser contemplado no orçamento. Nem uma única tentativa sobre este tema e o Ambiente, que tanto foi propagandeado.

Na introdução ao Orçamento Municipal, por parte do executivo, o eleito da CDU destacou duas propostas:

1ª "Encontrar as soluções adequadas para a caracterização dos principais anseios dos munícipes".

2ª "Apostar na valorização e qualificação ambiental e territorial".

Dia 6 de Maio de 2011, teve lugar nos Paços do Concelho uma reunião do Concelho Municipal de Segurança e após a mesma a sala foi aberta à população, que a encheu por completo. Com dois únicos temas: A falta de segurança que se vive em Campo Maior (com os assaltos constantes) e o elevado estado de degradação na zona do Mártir Santo. Quer a nível patrimonial (onde se destaca a igreja, que é Património Municipal) quer a nível ambiental.

Se estes foram os principais anseios da população, porque não existe uma única contemplação no orçamento e plano para 2012?

No período aberto à população, falou um cidadão que também demonstrou o seu desagrado face à situação em que se encontra o Mártir Santo.

A Coordenadora da CDU Campo Maior

Sem comentários: