A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

domingo, 10 de junho de 2012

ALENTEJO - Ester Cid



ALENTEJO

 Alentejo meu orgulho
minha terra e meu chão
Nesta plana altitude
beija-me o rosto a aragem
e as searas de pão

Alentejo meu amor
na solidão da planície gritante
cegonhas de longas asas abertas
com seu olhar penetrante
eu que não tenho asas
percorro-te em sonhos
em longos voos esvoaçantes

Alentejo meu orgulho
nos teus campos solidão
papoilas rubras grito vermelho
reforma agrária
fartura trabalho pão

 Alentejo meu amor
no tempo de primavera
teus campos cheios de flores
o sol dourado alegria
juntas o cante das gentes ao canto da cotovia
esqueces a tua dor
és forte, és belo és camarada és rosto da igualdade
és pastor és mineiro
ceifeiro abegão
agricultor manageiro
és celeiro e és brancura
és antifascista preso
nos tempos da ditadura

Alentejo meu orgulho
que amo tanto de verdade
és Abril revolução és a voz da Liberdade

Poema de Ester Cid - Fotografia de Carlos Cascalheira

Sem comentários: