A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

domingo, 17 de junho de 2012

A voz de Portalegre nas ruas de Lisboa

A USNA-CGTP-IN defendeu os trabalhadores do distrito

O secretário-geral da CGTP disse hoje ser inevitável o aumento do salário mínimo nacional, considerando a manifestação desta tarde, em Lisboa, uma censura às políticas do Governo.
 
"Esta manifestação é de censura ao Governo e às suas políticas, mas é simultâneamente de exigência e de apresentação de propostas para as saídas que consideramos importantes e que vamos apresentar", afirmou Arménio Carlos, à Agência Lusa, durante o percurso entre o Marquês de Pombal e o Rossio.

Rodeado por manifestantes, o secretário-geral avançou com algumas ideias que a CGTP espera que tenham sucesso.

"Nomeadamente para a criação de emprego, o combate ao desemprego jovem e às políticas que visam retirar a protecção social aos desempregados. No que respeita à melhoria dos salários, é inevitável o aumento do salário mínimo nacional e também é preciso aumentar as pensões", defendeu o secretário-geral da intersindical.

Arménio Carlos preferiu não adiantar um número de manifestantes hoje presentes em Lisboa, mas mostrou-se satisfeito com a moldura humana.

Multidão contra as políticas do governo PSD/CDS-PP e Troika (apoio do PS)
 
"Estamos perante uma grande manifestação vivida com intensidade e com esperança e confiança e que é necessário alterar estas políticas e dar resposta a uma conjunto de necessidades e desejos dos trabalhadores e da população", referiu o secretário-geral da CGTP.

Sem comentários: