A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

domingo, 25 de novembro de 2012

mora, novembro 25 fj - a camponesa MRP

 
 
a camponsesa - Manuel Ribeiro de Pavia
Mora
Novembro 25

1.
fogueiras
nas ruas

a espera
angustiante

...
a derrota
nas mãos
e não poder
agir

esperar
ainda
uma vez
mais

quanto
tempo
.
 
2.
25
de Novembro
a traição
ao tempo

a demora
da efectiva
mudança

...
a que
os tempos
irão colocar
exigir

e com
juros de
(de)Mora
.
 
3.
Mora
os teus soldados
de Novembro
regressando
a Tancos

chefes
maiores
de uma cólera
...
amordaçada
.
4.
Mora
e esta raiva
não menor
de agora

hordas
de cães
contra
as tuas gentes
...

os polvos
da terra
roubando
as tuas terras

Mora
com que sábio
carinho
as trataste

com que encanto
nelas cresceste
e te fizeste
maior
.
5.
grandes
as tuas assembleias
Mora

as UCPs
em peso

outro povo

...
o retintamente
melhor
de Mora

os que
as dificuldades
da vida
mais
escureceram

melhor
cristal
humano
talharam
.
6.
as tuas mulheres
operárias
dos campos

quantos rostos
cisgados
em cansaço

sorrisos
...
maduros
nesses
olhos
.
 
7.
assembleias
vestidas
de confiança

prenhes
de vivacidade
e alegria

pura beleza
...
pura força
de viver
.
 
8.
grandes
as tuas assembleias

qualquer
que fosse a hora

qualquer
que fosse o local

...
elas aí estavam
Mora

que rumor
de raiva
.
 
9.
Mora
que rumor
de raiva
surda
te irrompe
de dentro

ah a raiva
incontida
...

ah como
cantarás
os cânticos
da vitória

com que voz
rouca

que louca
alegria

te sairá
da voz

da tua voz
mais
profunda
mora
.
10.
sempre
às tuas ordens
Mora

e às suas
ordens
professor

amigo xitas
...

presidente
hoje
e sempre

o teu eterno
sorriso
pisco

um copo
de humanidade

levantemos
uma vez mais
as taças
.

11.
não mais
deixaremos
de estar
aqui

uns
com os outros
.
as lutas
...
que travámos
fizeram de nós
definitivamente
outros seres

bem melhores
do que antes
éramos
.

12.
obrigado
Mora
obrigado
ás tuas gentes

foi praticamente
aqui
que comecei
a ser gente
...
.
fj
25 nov.75
tinha acabado de fazer 20 anos a 11 de novembro
era revolucionário a tempo inteiro.
estava tuberculoso de sem horas lutar
e mal comer sem poiso
certo
.
mas assim me fiz eu.
amei aqueles tempos
e todas as todas mulheres
mora.
obrigado
.
fj
 
poema de Filipe Chinita, desenho de Manuel Ribeiro de Pavia

Sem comentários: