A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

quarta-feira, 1 de abril de 2015

A CDU sai reforçada nas Eleições Regionais da Madeira




Apenas 5 votos separaram a eleição de mais um deputado na Assembleia Regional da Madeira nas regionais de 2015.

A CDU vai recorrer à Assembleia de Apuramento para verificar se existe ou não o número de votos suficientes para aumentar o grupo parlamentar de 2 para 3 deputados. E consequente perca da maioria absoluta do PPD/PSD.

A CDU sai reforçada deste acto eleitoral por diversos motivos:

alcança o maior resultado de sempre (desde 1976) em termos percentuais (5.54%);

obtém a 3ª maior votação de sempre em números absolutos (7082 votos);

recupera o 2º deputado (perdido em 2011) e constitui, novamente, o grupo parlamentar;

fica a pouquíssimos votos de eleger o 3º deputado (aproximadamente 5 votos, resultados provisório);

a confirmar a eleição do 3º deputado, o PPD/PSD perde a sua maioria absoluta;

mantém a coerência política desde sempre, num complicado quadro regional político entre a partida e chegada de novas forças políticas e consecutivos arranjos, o PPD/PSD perde 1 deputado, o CDS-PP perde 2 deputados e salientar que o somatório dos deputados eleitos em 2011 pelas forças políticas que este ano se coligaram era à data anterior de quase o dobro PS+PTP+PAN+MPT= 11 deputados em 2011 e em 2015 a "Coligação Mudança" obtém apenas 6 deputados;

a CDU vence contra tudo e contra todos, (incluindo o PPD/PSD e PS) a discriminação de que é vítima e consolida a voz dos que não têm voz no Parlamento Regional da Madeira.

A vitória alcançada por Miguel Albuquerque em substituição de Alberto João Jardim, não é mais do que uma mera mudança estética, pois o actual Presidente Regional da Madeira é cúmplice na enormíssima dívida desta região (mais de 6 mil milhões de euros) com os sucessivos apoios dos governos da república do PS, PSD e CDS, e a maior taxa de desemprego de Portugal.

Entretanto, houve diversas alterações na contagem dos resultados. A CDU alcançou mais um deputado e o PPD/PSD perdeu a maioria absoluta. Surge Nova contagem com a aparente falta no apuramento de uma freguesia, que reestabelece novamente a maioria absoluta ao PPD/PSD. Independentemente do resultado, como grande ilação, podemos concluir, que foi uma grande trapalhada para a democracia toda esta troca de números de sentidos de voto. E devemos estar muito atentos. É igualmente importante reter que todos os votos contam.

A CDU vai cumprir com o prometido ao povo madeirense, e defender os interesses de quem trabalha, estuda ou vive da sua reforma. Defender a criação de mais postos de trabalho com direitos.

Desejamos que este reforço se verifique igualmente nas legislativas e que a CDU se consolide como a principal força de esquerda em Portugal. 

E que, de uma vez por todas, o povo saiba fazer a sua escolha e mostrar o cartão vermelho às forças que ao longo de quase 4 décadas são fortes com os fracos e fracos com os fortes (PS, PSD e CDS).

A todas e todos quantos demonstraram confiança na CDU, uma saudação especial.

1 comentário:

António João Gonçalves disse...

O que se passou nas eleições da Madeira e ainda está por esclarecer, é uma enorme vergonha, é mewmo um escândalo, próprio de gente sem escrúpulos e de uma república das bananas e que só desprestigia os governantes que neste momento temos à frente do País, que tudo têm feito para desacreditar o regime democrático e lançar a confusão entre os portugueses, de modo a fazer crer que os politicos são todos iguais mas, nós sabemos que não são e que há uma força politica, de gente séria e honrada, duma só palavra, que é o PCP e que no quadro da CDU, está disponível, para se o povo português assim o entender quando chegarem as eleições, ser governo e dar a Portugal e aos Portugueses, aquilo que eles mais anseiam: SOBERANIA e DIGNIDADE!A