A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

quarta-feira, 25 de abril de 2012

25 de Abril de 1974 (2 de 3)

 
«Era já uma promessa 
 era a força da razão 
do coração à cabeça 
da cabeça ao coração. 
Quem o fez era soldado 
homem novo capitão 
mas também tinha a seu lado 
muitos homens na prisão.»
 
 
Na alva madrugada de 25 de Abril de 1974, o Movimento das Forças Armadas (MFA), Irrompe sobre Lisboa ao som da Grândola Vila Morena, onde se destaca o Capitão Salgueiro Maia, pelo papel preponderante que teve para derrubar o regime fascista comandado por Marcelo Caetano e Américo Tomás.

A Revolução de Abril foi liberdade; foi direito ao trabalho com direitos; foi direito à Saúde, direito ao Ensino, direito à Segurança Social; foi a experiência histórica da terra entregue a quem a trabalhava e dos sectores estratégicos fundamentais da economia colocados ao serviço do povo e do País; foi a construção do Poder Local Democrático; foi o fim da guerra colonial, libertando outros povos do jugo colonial e simultâneamente libertando Portugal; foi o fim do isolamento internacional do nosso País…

Tempo da construção da mais avançada democracia alguma vez existente em Portugal: uma democracia económica, social, política, cultural e com uma determinante componente participativa – que viria a ser consagrada na Constituição de Abril, aprovada em 2 de Abril de 1976.

A Queda do regime comandado por Marcelo Caetano, com a consequente fuga para o Brasil, foi igualmente festejada no Alentejo e em Campo Maior.

Que culminou num grandioso 1º de Maio de 1974.

Sem comentários: