A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Debate entre Francisco Lopes e Cavaco Silva


Dia 21 de Dezembro de 2010 Francisco Lopes realizou o seu terceiro debate televisivo para as presidenciais de 2011.

Foi um debate aguardado com enorme expectativa uma vez que esteve frente ao candidato que mais se opôs à realização dos debates na televisão.

Cavaco Silva desta vez, ao oposto das últimas presidenciais, assumiu o apoio dado pelo PSD e CDS, na recolha das assinaturas pelas distritais do PSD como o afirmou Miguel Macedo (líder parlamentar do PSD) em declarações na TV. Uma vez que agora convém estar ao lado do maior partido da oposição como forma de atacar o governo. Deixando desta forma a capa até aqui utilizada de "apartidário" ou "supra partidário".

O candidato da direita esteve particularmente nervoso durante todo o debate. Não foi capaz de sair do seu, já tradicional, auto-elogio desnecessário! Invocando a sua experiência como motivo da sua recandidatura e a característica que melhor o colocaria na corrida! Como se o seu passado de desastre fosse uma mais valia necessária! Conversa de quem foi um dos maiores construtores desta sociedade desigual e injusta tal como está nos dias de hoje.

Francisco Lopes Reforçou o papel importante na sociedade dos trabalhadores e do povo português dos quais recebe o importante apoio para a sua candidatura. Reconhecendo de imediato a actual situação do pais que se deve muito à passagem de Cavaco Silva pelos 10 anos como primeiro ministro (PSD) e 5 como Presidente da República (apoiado pelo PSD).

Denunciou o acordo estratégico entre cavaco e o pior da política do Governo (PS) como a verdadeira cooperação estratégica descrita pelo candidato do PSD. Que apadrinhou este Orçamento de Estado, que vai agravar ainda mais as injustiças em Portugal. Como o são os reduzidos impostos pagos pelos grande grupos económicos face à elevada carga fiscal nas classes mais baixas.

Cavaco foi também determinante na "nacionalização dos prejuizos do BPN" cobrindo desta forma uma enorme fraude de cerca de cinco mil milhões dos cofres do estado. (À data presente)

Francisco Lopes demonstrou ser conhecedor do verdadeiro papel do Presidente da República. E de todos os seus poderes. Reafirmou não rejeitar nenhum deles.

Cavaco teve de recorrer às poucas medidas do passado para justificar a sua passagem pelo poder! Continuando a atirar areia para os olhos do povo português! Sacudindo a água do capote, ao dizer que se houver entrada do FMI a culpa será do Governo.

cavaco foi a voz dos especuladores financeiros e dos mercados em lugar de defender a soberania do estado português. O dever do presidente era o de estimular o povo português e Cavaco fez o oposto. Acusou o candidato apoiado pelo PCP e Verdes.

Francisco Lopes demonstrou que Portugal deveria estar ao lado da Espanha , Grécia e Irlanda, uma vez que todos estes países estão a ser saqueados. Ao que Aníbal Cavaco respondeu com os argumentos reaccionários do costume. Apelando ao discurso populista dos anos 80! Assente na demagogia!

Francisco Lopes reforçou no último minuto a diferença entre as duas candidaturas: Enquanto a candidatura da direita está de acordo com as injustiças sociais a continuação no arrastamento do país para as dificuldades, o desemprego e a pobreza. E que a experiência de Cavaco em nada traduz as palavras proferidas tantas vezes. Enquanto a candidatura da esquerda representada por Francisco Lopes se propõe com a confiança nos trabalhadores e no no povo português criar condições para a necessária mudança que permita o desenvolvimento, a justiça e o progresso social. Assumindo o compromisso de ser a voz dos mais fracos e vulneráveis. Defender Portugal e não entidades estrangeiras especulativas.

Sem comentários: