A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Ecologistas Apoiam Francisco Lopes


Uma iniciativa assumida no último Conselho Nacional do PEV, à qual aderiram centenas de apoiantes, cidadãos cujas preocupações, actividades ou formas de estar na vida abraçam a causa ecologista. Ao realizar este acto público na Sociedade Guilherme Cossoul, em Lisboa, uma das mais antigas e prestigiadas sociedades de instrução de Lisboa, os ecologistas pretenderam chamar a atenção para a importância da cultura portuguesa e da produção artística e literária nacional e a necessidade absoluta de a promover e apoiar.

No dia anterior, de manhã, Francisco Lopes participou numa reunião com a Comissão de Trabalhadores do Sector dos Transportes de Lisboa subordinada ao tema «O Presidente da República, a Constituição da República e o controlo de gestão no Sector Empresarial do Estado».

Do conjunto das intervenções realizadas, com contributos concretos sobre a realidade de empresas como o Metro, a Carris, a CP, a EMEF, a TAP, a Transtejo e a Soflusa, denunciou-se a crescente diminuição dos poderes e mecanismos de controlo de gestão e, mais grave, a sistemática violação, por parte do Estado, dos direitos ainda consagrados na lei.

Na sua intervenção, o candidato à Presidência da República valorizou o carácter estratégico do Sector Empresarial do Estado, alavanca do desenvolvimento económico soberano do País, que importa defender face à ofensiva privatizadora em curso, e afirmou que o mesmo deve ser democrático e subordinado ao serviço público, e onde o mais amplo controlo de gestão assume um papel que deve ser valorizado e reforçado.

Antecedendo esta reunião, Francisco Lopes realizou uma visita à sede do Metropolitano de Lisboa, tendo contactado com a Administração e com os trabalhadores da empresa, a quem transmitiu a necessidade de salvaguarda e valorização dos direitos dos trabalhadores da empresa, hoje atacados pelas medidas decididas no quadro do Orçamento do Estado.

O candidato apoiado pelo PCP participou ainda num encontro com a Associação de Oficiais das Forças Armadas, Associação Nacional de Sargentos e Associação de Praças.

Sem comentários: