A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Governo corta no Sálario Mínimo Nacional com o apoio da UGT



O governo ao propor o aumento do Salário Mínimo Nacional em 10€ para Janeiro de 2011, utilizando o pretexto do diálogo e da concertação social, não só cede de forma escandalosa aos interesses do patronato, como rasga o seu último compromisso social.

A não concretização do compromisso estabelecido do aumento do SMN para os 500 € a 1 de Janeiro de 2011 o que significa é um roubo imediato de 15€ aos mais de 500 mil trabalhadores abrangidos pelo SMN.

Bem pode o governo falar em períodos de avaliação, aliás tal como o patronato tem feito, porque com esta medida aquilo que os trabalhadores têm certo a partir de 1 de Janeiro são os 0,33 cêntimos de aumento por dia, os brutais aumentos do custo de vida e da pobreza.

A medida do governo, apoiada pelo patronato e aceite pela UGT, representa um duro golpe e um enorme retrocesso para os trabalhadores e para as suas condições de vida já amplamente fustigadas.

O PCP chama a atenção de que este ataque ao SMN se insere nos objectivos mais amplos do patronato e do governo de ofensiva geral contra os salários, procurando assim não só atacar o SMN como de uma assentada tentar condicionar todos os salários.

O PCP apela aos trabalhadores que intensifique a sua luta e não permitam mais este ataque às suas vidas e dignidade.



22 de Dezembro de 2010

Sem comentários: