A 9 de Maio de 1945, o Exército Vermelho decretava o "Dia da Vitória"

sábado, 8 de janeiro de 2011

Assembleia municipal de 20 de Dezembro de 2010



Antes da ordem do dia o eleito da CDU usou da palavra e reforçou (conforme a intervenção de 27.9.2010) a preocupação no péssimo estado em que se encontra a zona do Mártir Santo. Bem como a falta de segurança para quem por lá circula. Abordando para efeito o presidente da câmara. Tendo o autarca respondido que o tema está na agenda da câmara. "Foi executado um levantamento das barracas existentes as quais foram numeradas bem como identificadas as famílias residentes, tendo em vista o seu realojamento em lugar ou zona a decidir" Ricardo Pinheiro referiu ainda" "na próxima reunião do conselho municipal de segurança iria convocar o eleito da CDU a participar".

Entre os assuntos da ordem do dia destaca-se a discussão do orçamento e plano de actividades para o ano de 2011. Que foi aprovado por maioria tendo contado com os votos favoráveis dos eleitos do PS, a abstenção da bancada do Grupo Cidadãos a Nossa Terra. O membro da assembleia municipal da CDU absteve-se e apresentou a seguinte declaração de voto:

"Mesmo tendo em conta o substancial corta de cerca de 420 000 € de transferências de verbas do O.E. para o nosso município, devido às medidas tomadas pelo governo do PS com o apoio do PSD, com as quais não concordamos e nos manifestamos frontalmente contra, porque elas não servem os interesses de Portugal e da maioria dos portugueses, achamos que o orçamento que o executivo nos apresenta, não satisfaz totalmente as necessidades da nossa terra.

Achamos que as comemorações do 25 de Abril, pela importância que se reveste ano após ano deviam constar deste mesmo orçamento, bem assim como a zona do Mártir Santo, que deveria merecer uma atenção especial por parte do nosso município, pelo que ela representa de negativo para a imagem e prestígio de Campo Maior.

Entretanto e pelo contrário é proposta uma verba de 250 000 € para a empresa Campo Maior XXI, para alimentar uma estrutura que estranha e vergonhosamente se mantém, depois de inaugurada à mais de um ano, fechada ao público e, ainda achamos um exagero a inscrição de valores na rubrica "Outros" quer na receita quer na despesa, que pelos quantitativos que ascendem a mais de 2 000 000 € requeria uma melhor explicação, por parte de quem executa o orçamento.

Para além de outras e por todas estas razões aqui mencionadas a posição do eleito da CDU nesta assembleia municipal e relativamente ao orçamento e plano de actividades, é o da abstenção.

O eleito da CDU, entre outros assuntos, questionou o presidente da câmara sobre:

O valor (7 348 000€) da verba orçada para a construção do Centro Escolar de Campo Maior estava garantido.

Qual o significado dos projectos Loja Solidária e Horta Comunitária.

No que consistiam os projectos de infra-estruturas e arruamentos da zona industrial, remodelação da Avenida Humberto Delgado, recuperação da casa do governador, remodelação e requalificação da zona de confluência das EN 371 e EN 373 na zona da Fonte Nova e a requalificação ambiental e urbana das Portas de Santa Maria ao cemitério.

Mais pormenores sobre a construção da Casa Mortuária.

Equipamento do Centro Cultural de Campo Maior com sistema de cinema digital 3D.

Criação da Casa da Juventude.

Em relação ao documento "Actividades mais Relevantes" António Gonçalves questionou o executivo sobre a proposta para a criação de uma equipa de fiscalização da construção do Centro Escolar.

No que cosnsitia o Projecto Cartão Verde - Água.

E a quem se destinava o rojecto Festa Maior.

O que significa o Projecto Sapadores e qual a sua viabilidade.

Sem comentários: